Na busca incessante pela diversidade de arranjos, pelo lirismo psicodélico e por composições modernas, o coletivo musical Petrônio e as Criaturas propõe uma imersão nos experimentos sonoros do EP “Mergulho”, de 2021. Produzido por  Petrônio Lorena e Fernando S., o disco apresenta quatro canções que seguem a identidade da banda no terreno livre da música psicodélica, transitando pela world music, ritmos do nordeste brasileiro e pelo rock sem fronteiras, onde ricas melodias embalam as letras poéticas e existenciais.

Presenças marcantes são as participações de Flaviola, mesclando vozes com Petrônio em “Desenho de nuvens”, junto com o arranjo trans-armorial para cordas feito por Júlio Ferraz; o instrumento medieval “Oud” tocado por Rodrigo Gondão, os backing vocals de Jeff Chagas e Flávia Muniz e a percussão de Nana Millet e Guga S. Rocha. O disco ainda conta com as guitarras de Fernando S., a bateria desconstruída de Tiago Marditu, os multi-instrumentos de Rama Om e uma pegada rock bem peculiar nas composições do músico e realizador audiovisual Petrônio Lorena.

“Mergulho” trata-se de um aprofundamento em 04 canções antigas que sempre navegaram ao lado da banda. “Eny”, composta por Jeff Chagas, Alexandre Chagas, Paulo Edmundo e Paulo Maurício, é uma canção que apresenta uma pessoa que realmente existiu, uma jovem de um bairro simples que queria apenas caminhar livremente pelas ruas.  Já a faixa “Desenho de Nuvens”, traz um momento lírico-poético de Petrônio ao relembrar as nuvens da infância que formavam diferentes formas. Já o pop-rock-selvagem “Os olhos secos de Biu” é uma das primeiras canções composta por Petrônio, que foi inspirado pelos personagens de “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto.  A canção “Voador” possui um clima de elemento ar, totalmente relacionada com “Desenho de Nuvens”.

O MERGULHO está disponível no Spotify, Deezer, Apple Music, iTunes, YouTube Music, Tidal, Amazon Music e Napster.